CIR

O Conselho Indígena de Roraima (CIR) é uma organização indígena de base que nasceu na década de 1970 a partir da realização da primeira Assembléia dos Tuxauas. Foi registrada perante o estado brasileiro em 1990. Seu principal objetivo é lutar pela garantia dos direitos assegurados na Constituição Federal e o fortalecimento da autonomia dos povos indígenas no estado de Roraima. Para atingir estes objetivos desenvolve atividades nos campos da saúde, educação, cultura, gestão ambiental, promoção social, desenvolvimento sustentável e participação nas políticas públicas, respeitando a organização social e cultural dos diversos povos indígenas do estado. O CIR é uma das organizações indígenas mais ativas no Brasil, com atuação local, regional, nacional e internacional. 

HISTÓRICO DA ATUAÇÃO

A articulação entre as lideranças indígenas que deu origem ao CIR teve início na década de setenta, com a realização das Assembleias de Tuxauas que levaram inicialmente à criação dos conselhos regionais, e posteriormente a uma organização de abrangência estadual, o Conselho Indígena do Território de Roraima – CINTERR. A criação formal do CIR ocorreu em 30 de agosto de 1990 devido à emancipação do Território para Estado de Roraima na Constituição Federal de 1988.

No início, o trabalho do CIR se concentrou na luta pela demarcação dos territórios indígenas tradicionais, com destaque para a implantação do projeto do gado que tinha como objetivo a ocupação territorial e a segurança alimentar nas comunidades. O trabalho se ampliou com sucesso nas áreas de saúde e educação, com a formação de agentes de saúde e professores indígenas. Outro avanço significativo foi a demarcação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol em área contínua, uma luta que levou mais de 30 anos.

ATUAÇÃO DO CIR

A área de atuação do Conselho Indígena de Roraima (CIR) abrange as 35 terras indígenas de Roraima, com uma extensão de mais de 10 milhões de hectares, onde vive uma população de 58.000 indígenas em 465 comunidades em todo o estado de Roraima, das etnias Macuxi, Wapichana, Ingarikó, Patamona, Sapará, Taurepang, Wai-Wai, Yanomami e Yekuana. A atuação direta do CIR se desenvolve através dos 10 conselhos regionais que formam sua base de atuação, envolvendo as etnorregiões das Serras, Surumu, Baixo Cotingo, Raposa, Amajari, Wai Wai, Tabaio, Serra da Lua, Murupu e Alto Cauamé e uma população em torno de 30.000 habitantes distribuídos em 255 comunidades indígenas associadas.