Certificação dos estudantes do CIFCRSS, educação e saúde são pautas no terceiro dia

A noite de ontem (13), penúltimo dia da 53ª Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Roraima, depois da visita da ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva e da presidenta da Funai, Joenia Wapichana, encerrou com mais um acontecimento histórico. Estudantes indígenas do Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol (CIFCRSS) receberam certificados pela conclusão dos cursos de bovinocultura, apicultura, fruticultura, beneficiamento de produtos e informática básica.

Com a presença dos pais e de lideranças indígenas, os 18 estudantes vivenciaram esse momento histórico, regado de esperança e orgulho. A cerimônia contou com a presença da coordenação executiva do CIR, no ato representado pela secretária do Movimento de Mulheres Indígenas de Roraima, Kelliane Wapichana, a diretoa do Instituto Federal de Roraima (IFRR), Pierlangela Nascimento da Cunha, povo Wapichana, e da presidenta da Funai, Joenia Wapichana.

A certificação é uma parceria do CIFCRSS e o Instituto Federal de Roraima(IFRR), que tem executado ações em parceria com o Centro.

Educação Escolar Indígena

Na programação da tarde, a Assembleia discutiu a educação escolar indígena, com a presença do diretor da Divisão Escolar Indígena, Leonardo Pereira, explicou as ações a frente do departamento.

Diretor Leonardo Pereira – ASCOM/CIR

“Até o final do ano vamos chamar os professores concursados, educação escolar indígena é diferenciada, mas, ainda não temos pessoas preparados para atuar nas salas de aula”, exclamou o diretor.

A infraestrutura das escolas também foram citadas, escolas que precisam de reformas, revitalizadas e outras construídas.

Conforme Leonardo, pela primeira vez uma escola Ingaricó vai receber material e merenda escolar.

A Organização dos Professores Indígenas de Roraima (OPIRR), participou da mesa sobre a educação escolar indígena.

Marileia Teixeira – ASCOM/CIR

“A OPIRR encaminha as demandas que vêm da base, nesses tempos protocolos varias documentos no MPF, sobre a não conclusão das construções de esolas” , disse Marileia Texeira, coordenadora da OPIRR.
Joênia Wapichana, presidenga da Funai, pediu as lideranças que cobrem a aplicação da emenda parlamentar no valor de 44 milhões, destinada quando era deputada federal para reformar as escolas indígenas .

“Cobrem tuxauas do governo do estado, a aplicação desses recursos, e não acreditem nas desculpas que estão dando, colocando a culpa na funai, dizendo que ela não autoriza a ordem de serviço como estão fazendo”, pediu Wapichana .

Instituto Insikiran da Universidade Federal de Roraima (UFRR) InstitutoFederaldeRoraima (IFRR), parceiros de longa data dos povos indígenas de Roraima, fizeram prestação de contas das demandas das comunidades.
“Temos cursos de extensão na área de salgadinhos, Artesão de artigos indígenas, auxiliar de costura, identificador florestal, criador de peixes, curso de línguas indígenas”, explicou Pierlangela Wapichana, direto do campus Amajari.

Certificação dos alunos do CIFCRSS – Fotos: Wey Tenente

Existe também a parceria com o centro de formação

Herundino Nascimento, professor do curso de gestão Territorial indígena, apresentou alguns dos alunos dos cursos do Instituto Insikiran,

“O Instituto é o único no Brasil que tem no seu conselho as organizações indígenas, o Instituto é fruto de uma demanda do movimento indígena, por meio da carta de Canauani”, lembrou Herundino.

O professor pediu que o movimento indígena, se reaproxima do Instituto para fortalecer a educação superior indígena.

O Centro Indígena de Formação cultura Raposa Serra do Sol (CIFCRSS), escola dos povos indígenas, responsável em formar novas lideranças, foi representando por Davison Blukey, coordenador do centro.

“Nós estamos baseados em três pilares, representados por figuras Sabedoria( livro), Trabalho (enxada) e Paciência (jabuti), e temos como tema Terra, Identidade e Autonomia dos povos indígenas, temos alunos de várias regiões de Roraima”, afirmou Davison.

Os desafios enfrentados pelo local, também foram citados , como a estruturação fisica da biblioteca e com livros didáticos, climatização das salas de aulas e o reconhecimento do Plano Pedagógico, pelo ministério da educação (MEC).

Saúde Indígena

A 53ª Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Roraima, também discutiu Saúde Indígena: garantia de orçamento e investimento .

A mesa foi composta pela equipe do Distrito Sanitário Especial Indígena Leste de Roraima, que tem como coordenador Zelandes Patamona.

O coordenador e sua equipe falaram sobre a construção, revitalização, materiais, formação e contratação de pessoal dentro do Dsei-Leste.

A discussão também teve a participação do vice-prefeito de Bonfim, Mário Nicácio, pautando a situação de saúde no município.

Lideranças das regiões fizeram cobraram a efetividade do atendimento à saude na área Leste.