MULHERES DA COMUNIDADE MATURUCA PRODUZEM 350 MÁSCARAS CASEIRAS NO COMBATE À COVID-19

O novo coronavírus trouxe total incerteza para o mundo e uma das principais medidas de prevenção recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é o uso de máscaras. Com essa preocupação, mulheres da etnia Macuxi, da comunidade Maturuca, região Serras, Terra Indígena Raposa Serra do Sol, confeccionaram 350 máscaras caseiras para doação.

A coordenadora de mulheres Marizete de Souza, da etnia Macuxi, explica que a ideia de confeccionar as máscaras de tecido, que são reutilizáveis, foi substituir as máscaras de TNT que são descartáveis.

Para não causar aglomerações, as costureiras se dividiram entre trabalhar na Casa de Trabalho Regional do Movimento das Mulheres Indígenas das Serras, Koko Juventina, que significa Vovó Juventina (CTREMMIS), e em suas próprias residências.

Casa de Trabalho Regional do Movimento das Mulheres Indígenas das Serras, Koko Juventina, (CTREMMIS). Foto: Arquivo da Comunidade Maturuca

“Foram produzidos 350 máscaras no total. Destas, 190 foram distribuídas para os seguranças das barreiras sanitárias e o restante vamos distribuir para crianças, lideranças e famílias infectadas”, explicou Marizete, acrescentando que só na comunidade Maturuca, onde moram 620 pessoas, mais de 200 foram infectadas pela Covid-19.

Fotos: Arquivo da comunidade Maturuca

As máscaras foram distribuídas nas barreiras das comunidades de Tabatinga, Lilás, Willimon, Pedra Branca e São Mateus. O trabalho de fabricação das máscaras teve apoio do Conselho Indígena de Roraima (CIR), Cafod e Nia Tero, que doou 157 metros de tecido, linhas e elástico.