Quarta fase: campanha emergencial do CIR leva ajuda a 38 barreiras de proteção de seis povos indígenas

Após quatro meses, a campanha do Conselho Indígena de Roraima (CIR) e parceiros no enfrentamento a Covid-19 chegou à quarta etapa atendendo as barreiras de proteção e vigilância das 32 terras indígenas das etnias Macuxi, Wapichana, Taurepang , Wai Wai, Patamona e Sapará. As doações são consideradas emergenciais. Até agora foram registrados 49 mortes pelo novo coronavirus entre os povos indígenas de Roraima e 1,4 mil casos confirmados só dentro das comunidades.

Nesta quarta fase da campanha, foram entregues mais de 300 cestas básicas, 3 mil máscaras de tecidos, 2 mil kits de higiene, além de EPIs, incluindo 4 mil luvas, álcool, protetor facial e roupas de proteção. Os itens foram levados pela equipe do CIR às 38 barreiras sanitárias instaladas nos pontos de acessos às comunidades para tentar conter a expansão do vírus pelo fluxo de pessoas.

Equipes usam EPIs durante entrega de ajuda humanitária em barreiras de proteção a comunidades/FOTO: Ariene Susui/Ascom CIR

Outro fator essencial no combate a Covid-19 e foi incluído nesta quarta etapa foi a informação. O CIR preparou folders informativos sobre o novo coronavirus em seis línguas nativas: Macuxi, Wapichana, Taurepang, Wai Wai, Yekuana e Ingarikó. Já foram entregues oito mil folders nas 10 regiões, além de 26 banners com informações sobre o novo coronavírus e os cuidados necessários para evitar a propagação da doença nas barreiras sanitárias.

Com as mortes, a tristeza e a dor abalaram profundamente os líderes indígenas. Além da coordenação executiva, uma parte da equipe do CIR foi infectada, mas após 15 dias de quarentena a equipe que testou negativo retornou as ações para ajudar as comunidades.

Folders em línguas nativas ajudam comunidades a compreenderem o que é o novo coronavírus e como se proteger/FOTO: Ariene Susui/Ascom CIR

Para impulsionar a confecção de máscaras caseiras e contribuir no combate a pandemia, mulheres das comunidades Malacacheta, região Serra da Lua e Maturuca, região Serras receberam materiais para incentivar a produção.

Nesta quarta fase, o CIR também estendeu apoio aos familiares dos parentes que vieram das comunidades acompanhar membros de suas famílias infectados pela Covid-19 na capital Boa Vista, e aos trabalhos das mulheres que estão produzindo os remédios tradicionais.

Doações incluem kits de higiene para ajudar comunidades a se protegerem do novo coronavírus/FOTO: Ariene Susui/Ascom CIR

A realização das ações foram feitas em parceira com a Niatero, Greenpeace, NCI, Cafod, Coiab, Diocese de Roraima, Missionários da Consolata, SESDUF, @doemascaras, e pessoas físicas. As 10 regiões atendidas nesta quarta fase foram Baixo Cotingo, Wai-Wai, Raposa, Serras, Tabaio, Serra da Lua, Amajarí, Alto Cauamé, Murupu e Surumu.

Qualquer pessoa pode colaborar com a iniciativa do CIR através da campanha emergencial. É possível doar qualquer quantia por meio da conta bancária do CIR (Banco do Brasil, Agência: 2617-4, Conta: 59027-4, Cnpj: 34.807.578/0001-76).

O CIR também arrecada equipamentos de proteção individual (Epis), materiais de higiene, limpeza, corte e costura (tecidos, linha costura e elástico), além de alimentos para ajudar as comunidades indígenas afetadas pela Covid-19. As doações podem ser feitas na sede do CIR, localizada na Avenida Sebastião Diniz, 2630, São Vicente, Boa Vista.

Translate »