Gestão e Estrutura Organizacional do CIR

O Conselho Indígena de Roraima (CIR) é constituído pelos seguintes órgãos, em conformidade com o seu Estatuto Social vigente:

A – Assembleia Geral: Órgão máximo de deliberação composto pelas lideranças das comunidades (tuxauas, coordenação geral, conselho fiscal, coordenadores e conselheiros regionais), que acontece uma vez por ano em caráter ordinário e quantas vezes se fizer necessário em Assembleia Extraordinária convocada pela Coordenação Ampliada.

B – Conselhos Regionais: Órgãos compostos de um coordenador regional, um vice-coordenador regional e um número indeterminado de conselheiros regionais indicados por cada região. Realizam Assembleias Regionais e participam das reuniões da Coordenação Ampliada e da Assembleia Geral do CIR, bem como das programações agendadas em nível comunitário, regional e estadual.

C – Conselho Fiscal: Órgão composto por um representante de cada região e um suplente, com mandato de 02 (dois) anos, escolhidos nas Assembleias Regionais e referendados na Assembleia Geral. Participa das Assembleias Regionais e Gerais, das reuniões da Coordenação Ampliada, e de reuniões periódicas na sede do CIR, para verificar livros e documentos concernentes a movimentação financeira da organização.

D – Coordenação Ampliada Deliberativa: Órgão formado pelos membros da Coordenação EXECUTIVA mais quatro representantes por cada Conselho Regional (coordenador regional ou vice coordenador, coordenadora regional das mulheres, coordenador Estadual dos jovens, e um conselheiro ). Reúne-se semestralmente e tem como atribuições fazer o planejamento das atividades do CIR, analisar a prestação de contas e as decisões da Coordenação executiva, zelar pelo cumprimento das disposições estatutárias e das decisões da Assembleia Geral.

E – Coordenação executiva: Órgão formado pelo Coordenador Geral, Vice-Coordenador Geral e Secretária Geral do Movimento das Mulheres Indígenas. Eleita por 04 (quatro) anos, administra e representa a organização em juízo e fora dele, com o apoio dos departamentos do CIR (Administrativo e Financeiro, Ambiental, Jurídico, Projetos, Comunicação, Jovens e Centro de formação). Presta assessoramento às comunidades e regiões na articulação política junto aos órgãos públicos federais, estaduais e municipais, assim como outras instituições e aliados do movimento indígena.

Entre as Organizações Indígenas que desenvolvem atividades em parceria com o CIR estão a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), Organização das Mulheres Indígenas de Roraima (OMIR), Organização dos Professores Indígenas de Roraima (OPIR), Associação dos Povos Indígenas de Roraima (APIRR), Associação dos Povos Indígenas da Terra São Marcos (APITSM), Associação Taurepang Wapichana Macuxi (TWM), Conselho do Povo Indígena Ingarikó (COPING), Associação do Povo Yekuana do Brasil (APYB), Associação do Povo Indígena Wai-Wai (APIW), e Hutukara Associação Yanomami (HAY).

INFRAESTRUTURA OPERACIONAL DO CIR

O CIR tem sede própria na cidade de Boa Vista para atendimento social das comunidades indígenas e para articular ações junto aos órgãos governamentais e entidades não governamentais a nível regional, nacional e internacional; esta sede está dotada de vários departamentos e uma sala de reuniões com capacidade para aproximadamente 100 pessoas. Possui também uma casa de apoio para indígenas que vem para a cidade de Boa Vista resolver assuntos pessoais, comercializar produtos, e buscar informações junto a órgãos públicos e a própria organização indígena, com capacidade para hospedar em torno de 50 pessoas.
A estrutura operacional do CIR conta com computadores, veiculo internet, telefones, visando atender as comunidades indígenas e articular as ações. Possui um sistema de gerenciamento de informações georreferenciadas (SIG) para monitoramento das situações sobre as terras indígenas, relacionado ao etnomapeamento e outras atividades;
Atualmente O CIR conta os seguintes Departamentos: Departamento de comunicação, departamento jurídico, departamento de mulheres indígenas, departamento do meio ambiente, departamento administrativo e financeiro; além do Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol (CIFCRSS) localizado na Terra indígena Raposa Serra do Sol na comunidade do Barro, que tem o objetivo de formar jovens nas áreas de técnicas agropecuárias e ambientais, formação de lideranças e áreas afins para voltar às suas comunidades e contribuir nas atividades sustentáveis, técnicas e políticas.
O retiro do CIR é constituído de uma área de produção de gado bovino para sustentar as atividades do CIR em eventos, mobilizações e trabalhos que forem decididos pela Coordenação Geral.
Existem ainda estruturas para a execução de atividades descentralizadas nas regiões indígenas, como casas de apoio para hospedagem, reuniões, cursos e assembleias nos oito centros regionais estabelecidos em conjunto pelas comunidades (Maturuca, Camará, Barro, Caracaranã, Pium, Araçá, Serra do Truaru e Malacacheta), e estruturas semelhantes em diversas outras comunidades. As atividades realizadas nas comunidades indígenas contam com serviços voluntários na alimentação e hospedagem dos participantes, sendo habitual a cooperação de todos com gêneros alimentícios como farinha, carne, frutas e cultivos variados.

Translate »