Notícias

Povos Indígenas da Terra Indígena Raimundão discutem sobre mudanças Climáticas

Com o passar dos anos o aquecimento global vem aumentando gradualmente, não se ver pássaros sobrevoando como antes, os peixes não sobem mais porque os rios estão secando, as florestas estão sumindo, entre outros impactos que o aquecimento global está causando ao meio ambiente. Preocupados com a mãe terra, o Conselho Indígena de Roraima (CIR) por meio do Departamento de Gestão Territorial e Ambiental (DGTA) realizou entre os dias 28 à 30 de outubro, oficina sobre Mudanças Climáticas e Monitoramento Territorial Com o tema: Clima, Território e Meio Ambiente, na comunidade indígena Raimundão, Terra Indigena Raimundão, região Tabaio.


O objetivo é informar para mulheres e jovens da comunidade sobre o aumento da mudança no clima que estão acontecendo no mundo. Os povos indígenas traçam metas e planos a fim de evitar que as conseqüências sejam ainda mais graves.


“Nós povos indígenas temos a preocupação com as mudanças climáticas, porque as terras indígenas são áreas de conservação permanentes, de matas, lagos e rios e os demais que fazem parte do meio ambiente. O nosso objetivo é debater sobre as mudanças climáticas na Terra Indígena Raimundão e demais comunidades, dialogar com as mulheres e jovens ver na percepção deles a questão da plantação, criação, da vida social, o que tem alterado no tempo, na vida das mulheres e jovens”, destacou a Gestora Ambiental do CIR Sineia do vale.


Ao final de cada atividade, as mulheres e jovens mostraram as suas percepções sobre as mudanças climáticas da TI Raimundão.
A estudante Yasmin Xavier Macuxi, nota não apenas na comunidade, mas em outros lugares o aumento de doenças causado pela mudança do clima, e ressalta sobre a saúde humana que pode ser afetada gravemente com as alterações climáticas. “Não precisa ser um especialista para perceber as doenças nos atingidos, como: a insolação, alergias, doenças transmitidas por mosquitos, como a dengue e a malaria, câncer de pele e a escassez de água, tudo isso vem acontecendo com mudanças do ambiente”, destacou a estudante participante da oficina.

Grupos de debates


Vale destacar, os povos indígenas já têm feito o manejo dessas áreas com seus conhecimentos tradicionais, lutam para preservar seus territórios.
Mas para reduzir o aquecimento global requer esforço da sociedade, a maioria das ondas de calor vai provocar sérios impactos, com mortes, incêndios florestais e perdas de produção. Evitar os problemas que causam esses impactos, é a melhor saída, “temos que preservar o meio ambiente, cuidar da nossa mãe terra, evitar queimadas”, afirma o Coordenador local da Juventude Leno da Silva Macuxi.

Alunos da comunidade Raimundão


A oficina contou com a participação da secretaria Geral do movimento das Mulheres Indígenas de Roraima, Maria Betânia Macuxi, vice-coordenador do CIR, Edinho Batista Macuxi e mais de 70 pessoas, entre Macuxi e Wapichana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »