Destaque,  Notícias

Terra indígena Serra da Moça inicia a implementação do PGTA


As comunidades indígenas; Morcego, Serra do Truaru, Serra da Moça e Anzol, região Murupú, realizaram nos dias 25 e 26 de outubro, reunião para implementar o Plano de Gestão territorial e Ambiental (PGTA) da Terra indígena Serra da Moça.

As atividades fazem parte do projeto “BEM VIVER”, implementado através do consórcio formado pelo Conselho Indígena de Roraima (CIR), Instituto Internacional da Educação do Brasil (IEB) e Natureza e Cultura Internacional (NCI). Apoiado pela USAID que visa implementar a política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras indígenas (PNGATI) das terras indígenas de Roraima.


O coordenador da Região Murupú, Alexandro Wapichana , destacou que a implementação do PGTA é um sonho no qual está se realizando, uma luta das lideranças há anos, e hoje podem ver se concretizando.

Coordenador Alexandro Wapichana


“Foi uma construção, tem história de luta, para chegar hoje onde nós estamos, é uma grande vitória, é uma conquista, pois foi à atuação de nossas lideranças e muitos já não estão entre nós, hoje estamos com essa implementação, recebemos esse apoio, dentro do PGTA nós apresentamos diversas necessidades, ameaças e problemas, mas também colocamos as nossas potencialidades, ficamos muito felizes em receber esse apoio para executar essas atividades, e isso nos traz uma alegria muito grande” afirmou o coordenador.

A implementação do nosso plano é uma conquista, pois foi à atuação de nossas lideranças e muitos já não estão entre nós “


Sheila Carlos é da etnia wapichana, 29 anos, comunidade Serra da Moça, ela é uma das mulheres que participam do projeto de corte e costura na comunidade, ela ressaltou a importância de está vendo a contemplação das ações das mulheres dentro da implementação do PGTA.

Sheila Wapichana


“Para nós é muito gratificante esse momento, nós não temos máquinas, já temos o trabalho, só precisamos de um apoio, e através desse plano nós estamos sendo contempladas, e isso é de suma importância principalmente no incentivo às mulheres na busca pela autonomia e independência financeira” Afirmou.


A reunião foi uma iniciativa do Departamento Ambiental do Conselho Indígena de Roraima, com apoio do projeto “Bem Viver” que teve o intuito de discutir junto às comunidades as atividades e orçamentos para que possam iniciar as implementações do PGTA na terra indígena.


A terra indígena Serra da Moça possui em sua extensão territorial, 11.626 hectares, com uma população aproximada de 780 pessoas nas três comunidades indígenas, Serra da moça, Serra do Truarú e Morcego.

Fotos: Ariene Susui

Um comentário

  • Newton Lucena Rodrigues

    Nasci no Anzol sou roraimense com muito orgulho. Vivi em Boa Vista até os Seia anos.. vou retornar pra Roraima e pretendo morar no pé de Serra num lugar lindo na área do Murupu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »